Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Clarice Herzog – 80 anos

Uma página infeliz da nossa história se deu, ali, diante dos meus olhos nas instalações do prédio da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Ano de 1975.

Envolveu dois personagens do meu (ainda que circunstancial) convívio.

O jornalista Vladimir Herzog e o cineasta João Batista de Andrade eram amigos e nossos professores do terceiro ano da turma de Jornalismo.

Em outubro do mesmo ano, Herzog foi preso, torturado e assassinado nos porões do DOI/CODI em São Paulo.

Desde então Andrade passou a ser seu mais completo e fraternal biógrafo.

Registrou os fatos trágicos com indignação, talento e coragem.

* Escrevi sobre o tema no Jornal da USP. Leia AQUI!

Ontem, 1° de julho, o Instituto Vladimir Herzog disponibilizou o documentário Duas Vidas – Uma só luta, a carinhosa homenagem de Andrade aos 80 anos de Clarice Herzog, viúva de Vlado, completados nessa data.

Trata-se de oportuno registro da trajetória desta admirável mulher.

Um exemplo de luta e total comprometimento com a democracia e o bem comum.

Essa luta – que é de homens e mulheres sensatos que se opõem  à tortura e ao autoritarismo – é a fonte de inspiração para os versos eternos do eterno Aldir Blanc na canção “O Bêbado e a Equilibrista” [na lindíssima parceria com João Bosco].

Que sonha com a volta do irmão do Henfil
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora
A nossa Pátria mãe gentil
Choram Marias e Clarices
No solo do Brasil

Assistam!

 

signature

Ainda nenhum comentário.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *