Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Palavra de Rei

Roberto Carlos queria ser Tito Madi.

Ops…

A frase não é minha, vou logo avisando.

Eu a ouvi nos idos de 1978 quando ainda era repórter e aguardava a chegada do Rei ao Clube Atlético Ypiranga, em São Paulo, onde se apresentaria no ginásio esportivo para uma plateia de pouco mais de mil espectadores.

Roberto deu aquela atrasadinha básica – pouco mais de hora e meia. E os repórteres ficaram por ali nos bastidores do palco ao lado dos músicos e do pessoal da produção do espetáculo.

Um dos diretores do clube estava mais do que entusiasmado. Contava para todos que “o maior cantor do Brasil de todos os tempos” só estava ali por causa delezinho.

Era “assim” com o Rei e, por consequência, sabia quase tudo da trajetória do maior cantor etc etc etc.

Para dar uma mostra dos seus conhecimentos, desafiou a todos com a pergunta: quem era o ídolo de Roberto no início de carreira quando defendia uns trocados como crooner da boate do Hotel Plaza em Copacabana?

Apostamos – os repórteres e alguns músicos – todas as fichas em João Gilberto.

“Erraram todos”, disse o tal diretor de cabelo retinto.

– Embora imitasse João Gilberto na voz e no timbre, Roberto queria mesmo ser Tito Madi.

II.

Faz sentido.

Tito Madi, à época, era o rei das paradas.

Emplacava um sucesso atrás do outro: “Chove Lá Fora”, “Menina Moça”, “Não Diga Não”, “Cansei de Ilusões”, “Balanço Zona Sul”, entre outras.

– Não duvido – disse um rapaz da produção.

E esclareceu que, meses antes, Roberto e Tito Madi se encontraram em uma premiação musical.

O Roberto se desmanchou em afagos e elogios ao ídolo da sua juventude. Prometeu até gravar uma das canções de Tito Madi e o convidou para participar, cantando, quando isto acontecesse.

Tito, que andava esquecido e longe dos holofotes, ficou emocionadíssimo.

III.

Lembrei-me dessa história ao ler, dia desses, que Tito Madi, aos 87 anos, está preparando o lançamento de um novo trabalho (ao lado do notável pianista e arranjador Gílson Peranzzetta). Vai chamar “Quero Dizer Que Te Amo” e logo logo o CD estará nas boas casas do ramo.

Mas, o que mais me comoveu na matéria foi saber que Tito ainda espera o Rei lhe chamar para que a velha promessa se cumpra.

Os mais chegados a ele garantem que ninguém lhe tira essa esperança.

A expectativa é grande, e resiste.

IV.

Tomara que Roberto tenha conhecimento dessa reportagem.

Ainda é tempo de saldar o compromisso.

Até porque palavra de Rei… etc etc.

**Nota do blogueiro

A reportagem sobre aquele show:

http://www.rodolfomartino.com.br/artigo.php?id_artigo=634

signature